Text_2

Laudo da reconstituição do caso do bebê desaparecido sai em 20 dias

Peritos criminais do local de crime do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” realizaram, na manhã desta sexta-feira (28), a reconstituição do desaparecimento do corpo de um bebê da sala de necrotério do Hospital de Clínicas Gaspar Viana. O fato ocorreu na noite do último dia 17. A perícia foi solicitada pelo delegado Walter Resende, presidente do inquérito, para sanar algumas dúvidas e ter uma definição do que realmente transcorreu naquele dia. O laudo será concluído em vinte dias úteis.

Participaram da reconstituição dois maqueiros, uma assistente social, duas técnicas de enfermagem e uma servidora da limpeza; todos servidores do Hospital que estavam trabalhando no dia do ocorrido. Os familiares do bebê também estiveram presentes. A ação foi realizada nos locais por onde o corpo do bebê passou e onde os envolvidos estiveram naquele dia; os principais são a UTI Neonatal e o necrotério.

Nesse trabalho, os peritos analisam os depoimentos prestados ao delegado com os fornecidos no dia da reconstituição, para saber se há divergências ou não entre eles, além de fazer os registros fotográficos de todo o local do fato.

“Analisamos, antes da perícia, os depoimentos prestados ao delegado para que tivéssemos uma base do que o participante falaria. E então, questionamos o que poderia ser ou não uma ocultação dos fatos ou divergências. Percebemos algumas divergências, mas faremos uma análise criteriosa e descreveremos no laudo que será entregue ao delegado”, detalhou o perito criminal Paulo Bentes.

“Refazer tudo o que ocorreu naquele dia é importante neste momento da investigação, para que possamos ter uma noção mais precisa dos fatos, não apenas baseada nos depoimentos, mas comprovada pela perícia criminal. Vamos aguardar o resultado do laudo e tomar alguns depoimentos, para depois definir os próximos passos”, informou o delegado Walter Resende.

Apuração – A Polícia Civil já coletou, em 11 dias de investigação, cerca de 20 depoimentos, entre familiares do bebê e servidores do hospital. Ao mesmo tempo, fez a análise de toda a documentação que foi solicitada ao hospital e o laudo da perícia de local de crime sem cadáver, que foi realizada no último dia 20. O próximo passo é aguardar o laudo da reconstituição, para assim verificar quais as próximas medidas a serem tomadas.

Por Ivana Barreto
Foto: Sidney Oliveira – Agência Pará