Text_2

Perita Criminal se despede do CPCRC

Foram 26 anos de dedicação e excelência nos serviços prestados pela perita criminal Edêmia Nuayed ao Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” (CPCRC). Mas, como toda boa trajetória, a servidora encerra seu ciclo no órgão ao conquistar, com todo o direito, o benefício da aposentadoria. A conquista foi celebrada na sede do CPCRC que, num almoço organizado pelos demais servidores, no início da tarde desta quinta-feira (30), se despediram da nobre colega.

Apesar da aposentadoria, a perita criminal Edêmia Nuayed, que é formada no curso de farmácia, com especialização em bioquímica, microbiologia e toxicologia, lembra com carinho do início de sua trajetória no Centro de Perícias. “Quando eu entrei no CPC os serviços eram todos generalistas, fazíamos todas os tipos de perícias que chegavam. E, quem estivesse no plantão, ia fazer o trabalho”, relembrou Edêmia.

Após os anos, as perícias no CPCRC ficaram restritas à cada tipo de especialização. Por isso, devido a formação no curso de farmácia, a perita estava lotada no Laboratório de Físico, Químico e Biológico, subordinado à Coordenação de Laboratório (Colab), do Instituto de Criminalística (IC). Neste setor, a servidora manteve a mesma dedicação e competência do início de carreira no órgão.

Durante todo esse tempo, Edêmia Nuayed relembra ainda que em alguns momentos no oficio de perita criminal precisou ser forte para seguir firme na carreira. “Participei do trabalho pericial na morte dos sem-terra de Eldorado dos Carajás, do assassinato da irmã Dorothy. Além disso, participei de perícias que envolviam violência sexual em crianças, que foram casos que sempre me chocaram e até me fragilizaram. Mas, encontrava força para fazer meu trabalho e, por isso, continuei durante tanto tempo”, destaca a perita criminal.

Apesar de toda a trajetória positiva, após 26 anos a servidora se viu na hora de aposentar. A decisão foi tomada com a certeza de ter feito uma bela carreira pericial, que pode servir de bom exemplo aos servidores que seguirão no CPCRC. “Sempre fiz o meu melhor pelo órgão, sempre prestando meu serviço com profissionalismo. É isso que deixo como exemplo aos servidores que vão continuar”, disse a perita Edêmia Nuayed.

DESPEDIDA

Os 26 anos dedicados ao CPCRC pela perita Edêmia Nuayed não passaram despercebidos pelos colegas de profissão. Além da competência, a servidora é reconhecida pelo afeto e carisma junto aos demais servidores do órgão, sobretudo, os que trabalhavam no mesmo setor, que organizaram um almoço de despedida em homenagem a ela.

Por isso, entre discursos e lágrimas, os servidores do CPCRC se despediram da perita com elogios e agradecimentos. “Se dependesse de mim, pelo seu profissionalismo, eu não assinaria sua liberação para aposentadoria. Mas, ao mesmo tempo, sei que essa sua aposentadoria significa o agradecimento por tudo o que você fez pelo CPCRC”, disse o perito criminal Celso Mascarenhas, diretor geral do CPCRC.

“Lamentamos a saída de uma grande profissional, mas reconhecemos que você merece essa aposentadoria. Desejo paz e sucesso, em qualquer que seja o rumo que vais tomar na vida, agora depois de ser aposentada”, desejou o médico legista Hinton Júnior, diretor do IML.

“Nunca escondi a minha admiração por você. Por todo o profissionalismo e tudo o que eu aprendi com você. Espero que, todos nós que vamos continuar aqui na Colab, possamos ter o seu comprometimento e profissionalismo. Obrigado por tudo”, agradeceu o perito criminal Eric Nascimento, coordenador do Colab.