Text_2

Perícia criminal do Pará recebe prêmio em Congresso Nacional de Criminalística

Uma equipe de peritos criminais do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” (CPCRC) recebeu menção honrosa pelo trabalho intitulado “Metodologia para reprodução simulada dos fatos em presídios: casuística de Americano”, apresentado no XXV Congresso Nacional de Criminalística, realizado de 1 a 4 de outubro, em Goiânia. Além disso, o mesmo grupo venceu o prêmio em dinheiro pelo melhor trabalho entre todas as categorias que foram apresentadas no evento.

A equipe vencedora é formada pelos servidores Carolina Calderaro, Creusa Dias, Jadir Ataíde, Jânio Arnaud, Mariluzio Moreira e Yara Jennings. O trabalho apresentado por eles foi baseado na reprodução simulada da tentativa de resgate de custodiados do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III, do Complexo de Americano, em abril de 2018.

“Foi a primeira vez que uma perícia desse tipo fez a reprodução simulada dentro das dependências de um complexo penitenciário. Não havia uma referência sobre como fazer essa reprodução. Então, desenvolvemos um método específico, que foi reconhecido pela organização do Congresso, que promoveu a menção honrosa e a premiação em dinheiro ao trabalho apresentado”, disse Mariluzio Moreira.

Outros trabalhos

Além da menção honrosa e premiação recebida, a perícia criminal do Pará também foi representada no Congresso Nacional de Criminalística por outros peritos do CPCRC. Outros cinco trabalhos foram apresentados no evento, todos baseados em perícias feitas em casos relevantes no Estado e usados como objetos de análise em todo o Brasil.

Para o diretor geral do CPCRC, Celso Mascarenhas, a participação no congresso, com destaque para a menção honrosa e o prêmio reconhecido no evento, mostra o papel relevante da perícia criminal no Pará. “Nossos peritos realizam um trabalho de competência, que foi apresentado e reconhecido no maior evento sobre perícia criminal do Brasil”, comemorou.